domingo, 15 de abril de 2018

Imagine all the people living life in peace


As flores solitárias
De uma montanha distante qualquer
Que sempre passam despercebidas
É como se elas não estivessem ali?
Passar a vida sendo a observadora
Nunca sendo o centro
Faz os dias passarem mais rápidos ou mais lentos?
Perguntas sem respostas nos surge ao travesseiro
E a vida é só mais um fardo
Que insistimos em carregar
E a liberdade é só uma utopia
Que nunca vamos alcançar.
Daniela Silva

sexta-feira, 23 de março de 2018

Sonho e poesia


 

“Todo sonho tem algo de poesia, e toda poesia, toda arte, talvez se aproxime do sonho, nesse sentindo. [...]”



Freud, A Interpretação dos Sonhos

 
Para finalizar, o My Life está fazendo 8 aninhos. Obrigada a todos que tem acompanhado o blog e assim que o tempo permitir, alguns sonhos e poesias aparecerão mais por aqui. 

 

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

CityPass Chicago - parte 2/2


Meu segundo dia em Chicago foi rápido e com menos atrações do que o sábado. 
Acordei cedo e peguei um táxi para ir até a igreja, se você é de alguma religião, vale a pena pesquisar se há alguma igreja por perto (a minha não era tão perto), mas valeu a pena cada segundo. 
Deixei combinado com o mesmo taxista que me levou, me buscar, então não tive nenhum problema de locomoção do centro para o subúrbio e do subúrbio para o centro - se você for transitar por si mesmo nesses lugares, tenha em mente que há pedágios dentro da cidade, então sempre esteja com algumas moedas ou notas baixas. 




Quando voltei ao centro fui utilizar minha última atração do CityPass: 360 Chicago. É um prédio bem alto que te dá uma vista de realmente 360° de toda a cidade. Você pode ver o Norte, Sul, Leste e Oeste através de vidros enormes. 
Se no dia anterior vi Chicago a noite, ver durante o dia também foi incrível. Recomendo a visita e recomendo mais ainda ter um celular/câmera bons para tirar foto.


A última parada foi no Navy Pier, um Pier muito bonito e extenso ao lado do lago Michigan (que mais parece o oceano). Há algumas atrações como roda gigante e carrossel e você ainda pode fazer uma bela caminhada ao longo de toda a extensão do lugar. Como estava frio, fiquei pouco no pier, mas tenho certeza que no verão deve ser uma delícia ficar observando o lago e os prédios de Chicago. 










N A V Y    P I E R








Em seguida fui para a estação central para voltar para a cidade em que eu estava hospedada, cheguei às 14h para pegar o trem das 16h, resultado: Não tinha mais bilhetes e precisei pegar o trem das 20h e acabei chegando uma hora da manhã no hotel. Minha dica: compre as passagens de trem com antecedência. 

A aventura em Chicago acaba aqui, mas em breve teremos mais posts sobre viagens e outras aventuras, acompanhe lá no insta para não perder as fotos e atualizações do blog.

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

CityPass Chicago - parte 1/2


Como prometido, vamos ao post da minha visita em Chicago.

Neve <3_ td="">
Michigan Avenue

Antes mesmo de pisar em solo americano pesquisei sobre como conhecer Chicago rápido, em pouco tempo e com o maior numero de atrações possíveis, pois bem, achei algo tentador: CityPass. Esse talão te dá o direito de visitar cinco atrações, com 52% de desconto e ainda cortar algumas filas - era tudo o que eu precisava para um final de semana e ainda me sobrava algumas horas cedo, já que os parques abrem por volta das nove horas da manhã.
Agora vamos do começo, fiquei hospedada no Best Western (Grant Park), a localização é ótima, bem pertinho das atrações da cidade (já que fiz tudo a pé). Já no sábado de manhã acordei às sete horas e fui andar no Millenium Park para conhecer o famoso "The Bean", um feijão gigante todo espelhado. Ele em si não me chamou tanta atenção, mas sim e neve. Foi a primeira vez que a vi, confesso que pareci uma criança correndo, brincando e pegando a neve com a mão - é fantástico. Recomendo e muito ir para Chicago no inverno, é lindo e não tão caro por ser baixa temporada.
Logo depois comecei a usar o CityPass no Shedd Aquarium, é bem facinho, basta mostrar a confirmação do CityPass que você recebe por e-mail (levei impresso) e ai você já recebe o talão para sair usando.
O Shedd Aquarium é bem bacana, tem até um pouco da diversidade brasileira lá. Mas o mais legal foi ver o show dos golfinhos e ver o leão marinho, devo ter ficado uma hora e meia lá. A aventura 3D (ou 4D, não me lembro) não vale muito a pena, então se estiver em dúvida entre assistir o filminho e ver o show dos golfinhos, corre para a arquibancada.
Vai um pouco de lixo ai tirado do oceano?
Em seguida visitei o Planetário - muito bom. Para ser sincera, eu sou meia apaixonada por planetas, espaço e toda a ciência por trás, então foi muito legal. A primeira atração é assistir um filme em uma sala com teto arredondado onde é projetada uma imagem do espaço e parece tão real que é impossível não se encantar. Em seguida podemos andar pelo planetário vendo objetos da Apolo 13, meteoritos, telescópios e muitas curiosidades que estão ao nosso redor e/ou que fizeram parte da história. Tudo durou mais ou menos uma hora e meia também.

Pernas para que te tenho, fui em seguida para o The Field Museum, recomendo ir nesse por ultimo porque realmente andei muito e levei umas quatro horas para descobrir que ainda não tinha visto tudo. O museu é fantástico, tem ossos de dinossauro, animais empalhados que "oi, isso é que animal?", exposição de insetos, índios, e uma parte enorme dedicada ao Egito. O conhecimento que você adquire no local é imenso e até o filminho é legal de assistir - é muita cultura para apenas três andares.
Para aproveitar o restinho da tarde (que já estava escuro, pois no inverno cinco da tarde já é noite), visitei a Willis Tower - o maior prédio de Chicago onde te dá uma vista maravilhosa da cidade - é maior que a Torre Eiffel e o elevador não te livra da pressão no ouvido, mas vale muito a pena. a Vista é incrível e com o CityPass você consegue cortar uma boa parte da fila.
Para o primeiro dia foi isso, corrido mas consegui ver tudo que tinha programado para o sabadão. Não perca no próximo post as atrações de domingo e acompanhe no insta do blog ou da escritora mais fotos que vou postar da viagem!


sábado, 13 de janeiro de 2018

No interior dos Estados Unidos e High School


Sabe aqueles livros onde a garota chega em uma cidade pequena e diz que virou a novidade do momento e que tudo o que acontece com ela, TODOS vão ficar sabendo? Bom, eu achava que era exagero - como assim uma cidade toda pode saber o que está acontecendo em sua vida? Pois bem, passei a acreditar nisso depois que fui para os Estados Unidos e passei por cidades com cerca de 100 habitantes - não, não está faltando zeros nesse numero. Eu mesma fiquei em uma cidade com população de 3.800, e olha que eu já considerava minha cidade natal pequena com 104 mil habitantes. Você pode imaginar o choque que é, sair de um lugar calmo e ir para um mais pacato ainda onde pouco ou nada acontece, mas não nego que foi uma experiência muito legal, portanto, vamos ao tema do post: No interior dos Estados Unidos.
. . .

A cidade que fiquei por duas semanas se chama Flora, fica no estados de Illinois e há quatros horas de carro de Chicago. A cidadezinha não tem muito o que oferecer, mas conta com Wallmart, McDonald's, Taco Bel, Burguer King, Pizza Hut, Subway e alguns bons restaurante que não são fast food.
O centro da cidade é pequeno também, e havia uma escola, aquela bem típica dos filmes onde os ônibus amarelos passam levando a criançada. 
No subúrbio quase não há calçadas, mas isso não é um problema para o americano que faz tudo (até ir até a esquina) de carro. Praticidade é uma palavra que mora na vida dos americanos. 
As pessoas são sempre educadas e os mais velhos bem receptivos, um sotaque ou outro é difícil de entender, mas nada que um "ok" de resposta seja suficiente. 
Há muitas casas de campo, sem cercas, sem muros. As casas do centro são uma ao lado da outra, separadas apenas por um pedaço de grama bem aparada, enquanto no campo você vê uma casa aqui e outra acolá. 
Se me perguntassem se eu moraria em um lugar desse, a resposta seria sim, mas ao lado da pessoa certa (oi amor¹). A vida seria pacata, o tempo não passaria, tudo seria prático e você ainda teria a pessoa amada ao seu lado para inventar e descobrir aventuras de monte. A unica dificuldade é a comida, para ser saudável o jeito é cozinhar em casa.

vídeo do hotel até a empresa

Agora uma dica para quem quer fazer High School no EUA. Conheci duas moças, ambas donas de uma empresa de intercâmbio para High School. São uns amores, se entrar em contato com elas, fale sobre a garota na estação de trem em Effingham, no final da noite esperando um táxi. Vai lhe render uma ótima história. Sei que já fizeram o intercâmbio de diversos brasileiros e de outros alunos ao redor do mundo. Super recomendo! Você pode achar a Rhonda no face também. 


Por enquanto é só, aguardem nos próximos posts aventuras em Chicago!

Legenda
¹ - meu namorado.